terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Arte Postal... homenagear José Saramago!

Hoje, recebemos uma mensagem que muito nos honrou...


Caros amigos e amigas,

Hoje, finalmente, nós terminamos de subir todas as entradas recebidas na II Convocatória de Arte Postal dedicado, nesta ocasião, a Levantado do chão.
Estamos muito satisfeitos com a participação e qualidade das obras, chegadas de diferentes países como Portugal, Espanha, Itália, Brasil, México, Uruguai, Suíça, Rússia ...

Uma menção especial queremos dar a equipa da Biblioteca da Escola Secundária Monte de Caparica (Portugal) por colaborar no nosso projecto.

Aula José Saramago


Os trabalhos podem ser vistos no seguinte email:

https://aulajosesaramago.wordpress.com/i-convocatoria-arte-postal/ii-convocatoria-arte-postal-postales-recibidas/


segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

uma árvore feita de livros...

de gente, histórias, palavras e muitas estrelas!




uma árvore com alma, um espaço de afetos... 

A todos, incondicionalmente, votos de boas-festas, um ano-novo repleto de paz, sucesso, saúde e muitas leituras!

A equipa da biblioteca

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

A árvore da Palavra

No âmbito das comemorações de Natal, a equipa das Bibliotecas Escolares do nosso Agrupamento construíram, em cada escola, a  Árvore da Palavra.
Cada aluno, docente e auxiliar de ação educativa foi convidado a escrever uma frase, um pensamento, um desejo para esta época natalícia.
Hoje, na Escola Básica 2,3 da Costa da Caparica a nossa árvore foi inaugurada pela turma D do oitavo ano que nos presenteou com peças da natal, acompanhadas por violino e flauta transversal. 


Os resultados desta atividade brilham em cada escola!
Boas Festas para todos.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

“viver a Ciência”

As atividades continuam... 
- Feira de minerais;
- Exposição/ demonstração de atividades experimentais na Área da física por professores da FCT;
- Demonstração de uma pequena experiência pelos alunos;
-...



Uma semana intensa, repleta de saberes e partilhas!

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

À conversa com...

a Doutora Luísa Carvalho, professora do Departamento de Física da FCT
Uma conversa aberta a toda a comunidade educativa sobre as
 "As obras de Arte vistas ao raios X".
Hoje, na Biblioteca da Escola Básica 2,3 da Costa da Caparica.


Uma conversa memorável!

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

"A vida entre marés"

Amanhã dia 25 de novembro vamos receber o professor/escritor Manuel Lima, natural da Costa da Caparica que nos vai apresentar  o seu novo livro "A vida entre marés", uma publicação que retrata em texto e fotografia cerca de 150 espécies de peixes, moluscos, crustáceos e algas, que podemos encontrar na nossa Costa Atlântica e no vizinho Estuário do Tejo.. Posteriormente seguir-se-à uma sessão de autógrafos.



Esperamos por ti!

domingo, 23 de novembro de 2014

Globi vai à escola

Decorreram duas sessões de esclarecimento sobre hemoglobinopatias nos dias dezanove e vinte de Novembro de dois mil e catorze, terça e quarta feira respetivamente, no âmbito do projeto “Globi Vai à Escola”, na Biblioteca da Escola Básica 2,3 da Costa de Caparica.

Estas duas sessões vêm no âmbito da existência de dois alunos que padecem de drepanocitose, e o objetivo das sessões foi clarificar a patologia em si, sintomas e formas de atuação, entre outros aspetos. A iniciativa partiu da Associação Portuguesa de Pais e Doentes com hemoglobinopatias, uma IPSS na área da saúde, fundada de mil novecentos e noventa e um e sediada no Laranjeiro, através da Dr.ª Carmen Mariano e do Dr. Manuel Pratas, Presidente da referida Associação.

 A primeira sessão teve como público-alvo os docentes que fazem parte dos conselhos de turma das turmas onde estão os alunos, representantes de pais e encarregados de educação, os encarregados de educação dos alunos, auxiliares de ação educativa da escola e a equipa do Projeto de Educação para a Saúde. A outra sessão foi dinamizada para os alunos das turmas dos alunos visados.


A proposta foi bem aceite pela coordenação da escola, pelos diretores de turma visados e pelos encarregados de educação dos alunos, que autorizaram a dinamização da iniciativa.        

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Mergulho na Ciência...

No dia vinte e quatro de novembro, data de nascimento de  Rómulo de Carvalho, comemora-se o Dia Nacional da Cultura Científica. 
A destacar que Rómulo de Carvalho foi químico, pedagogo, investigador na área da ciência e inclusivé poeta conhecido sob o pseudónimo de António Gedeão  
No decorrer da próxima semana a Escola Básica 2,3 da Costa da Caparica, levará a cabo a Semana da Cultura Científica.
Fica atento ao programa...





Os mergulhos decerto vão ser profundos e maravilhosos e esperamos ansiosamente poder repeti-los em outros mares!!

domingo, 9 de novembro de 2014

Mapa repleto de ideias!!

O mês internacional das Bibliotecas Escolares terminou, mas as Ideias continuam a chegar ao nosso Mapa...
A maioria das turmas quiseram dar o seu contributo.




Obrigada a todos pela vossa participação!

sábado, 8 de novembro de 2014

a propósito da necessidade do desbaste...

"A finalidade do desbaste possibilita a melhoria da qualidade e reflete o funcionamento eficaz da biblioteca, ao eliminar títulos cuja avaliação periódica e contínua mostra a sua desadequação face ao conteúdo temático, ao desgaste por utilização, à ausência de procura e uso no conjunto da coleção. É importante, deste modo, adotar um conjunto de procedimentos que decorram da análise dos critérios já referidos, nomeadamente: 
1. a deterioração dos documentos; 
2. a duplicação em excesso de exemplares do mesmo título; 
3. a desatualização informacional dos documentos; 
4. as alterações curriculares; 
5. a definição de critérios para a aceitação de ofertas/doações; 
6. a economia de espaço. 
A atualização dos recursos documentais e, em consequência, a maior fiabilidade da informação conduz a um conjunto de outras soluções que se podem adotar, nomeadamente: empréstimos de fundos, intercâmbio com outras bibliotecas/ centros de documentação com vista à partilha de recursos, organização de exposições com fundos antigos, entre outros."

Gestão da Coleção
Rede Bibliotecas Escolares

e ainda podemos reciclar!

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Era uma vez...

Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.

Não conhece nem dó nem ré
mas sabe ficar na ponta do pé.

Não conhece nem mi nem fá
Mas inclina o corpo para cá e para lá.

Não conhece nem lá nem si,
mas fecha os olhos e sorri.

Roda, roda, roda, com os braçinhos no ar
e não fica tonta nem sai do lugar.

Põe no cabelo uma estrela e um véu
e diz que caiu do céu.

Esta menina
tão pequenina
quer ser bailarina.

Mas depois esquece todas as danças,
e também quer dormir como as outras crianças.


A Bailarina de Cecília Meireles

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Continuamos à procura de amigos!

Como é por dentro outra pessoa
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento.

Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição de qualquer semelhança
No fundo.

Fernando Pessoa

Uma ilustração da Madalena Borralho (Arraiolos)




domingo, 2 de novembro de 2014

Procura-se um amigo...

Amigo
Mal nos conhecemos
Inaugurámos a palavra «amigo».

«Amigo» é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo,
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!

«Amigo» (recordam-se, vocês aí,
Escrupulosos detritos?)
«Amigo» é o contrário de inimigo!

«Amigo» é o erro corrigido,
Não o erro perseguido, explorado,
É a verdade partilhada, praticada.

«Amigo» é a solidão derrotada!

«Amigo» é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!

Alexandre O'Neill, in 'No Reino da Dinamarca'

ilustração Wadajoplin 


quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Mapa de Ideias

 No âmbito do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares, estão a decorrer as seguintes atividades na Escola Básica 2,3 da Costa da Caparica:

  • Construção do Mapa de Ideias no primeiro piso, junto à Biblioteca, com sugestões dos alunos, de um livro ou DVD, que gostariam que eventualmente fosse adquirido para a Biblioteca. Esta atividade conta com a preciosa colaboração da área disciplinar de Português;
  • Exposição de livros, na Biblioteca,  com o intuito de promover o gosto pela leitura.

Aguardamos as vossas sugestões!
Vamos mesmo querer um mapa, repleto de ideias!

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Um dia na biblioteca

Hoje é dia da biblioteca, um dia de celebrações, muitas atividades, e homenagens!
A nossa homenagem vai para a professora Fátima Pedro...


a nossa vida na biblioteca!

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Bem vindos à Biblioteca!

Ao longo desta semana os quintos anos têm visitado a Biblioteca da Escola Básica 2,3 da Costa da Caparica, no início de novembro virão as restantes turmas. 
Todos os alunos aprenderam a preencher o programa de acesso, conheceram  as funcionalidades do espaço e requisitaram livros.

http://prezi.com/vxx8cqdzmegf/?utm_campaign=share&utm_medium=copy&rc=ex0share



PARABÉNS A  TODOS PELA VOSSA PARTICIPAÇÃO!

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Muitas obras de arte!

O resultado de uma manhã intensa de trabalho!


PARABÉNS e obrigado a todos os alunos, pelo envolvimento, participação e simpatia!

terça-feira, 21 de outubro de 2014

um desafio... arte posta!

A nossa biblioteca aceitou o desafio da "Aula de Saramago" na preparação, até 2022, do centenário de Saramago. Assim, realizaram-se os primeiros ateliers de arte postal.


Foi grande o entusiasmo!

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Mês da biblioteca escolar...

Durante o mês de outubro, em todo o Agrupamento, vão realizar-se diferentes ações no sentido de divulgar a importância das bibliotecas escolares na comunidade educativa.
O tema aglutinador, definido pela respetiva organização internacional, é: A tua biblioteca escolar: um mapa de ideias.
Participa nas atividades contribuindo com as tuas ideias!
Equipa BE


quinta-feira, 25 de setembro de 2014

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Livros com alma

“Cada livro, cada volume que vês, tem alma. A alma de quem o escreveu e a alma dos que o leram e viveram e sonharam com ele. Cada vez que um livro muda de mãos, cada vez que alguém desliza o olhar pelas suas páginas, o seu espírito cresce e torna-se forte”
Carlos Ruiz Zafón


 
ilustração de Erin McGuire

terça-feira, 16 de setembro de 2014

O regresso às aulas!

A Biblioteca Escolar deseja a todos os alunos e restante comunidade educativa um ótimo ano letivo 2014/2015
A todos os alunos, professores, pais e encarregados de educação, assistentes operacionais e administrativos, um excelente ano letivo, repleto de grandes leituras e muito sucesso!
A equipa da biblioteca escolar



Queremos ajudar a construir o teu percurso escolar de sucesso!

segunda-feira, 28 de julho de 2014

A 1ª Guerra Mundial

Completa-se hoje cem anos do início da 1ª Guerra Mundial (1914-1918). O conflito foi o primeiro a envolver países dos cinco continentes e deixou cerca de 10 milhões de mortos e 20 milhões de feridos.


sábado, 10 de maio de 2014

Um poema escrito a lápis


Guardo uma vontade que me consome,
de sair daqui. Deste preciso lugar.
Onde me encontro sem saber onde estou,

lugar este, irreconhecível
que já não me pede por rima,
que já não ilustra o que anseio por ver,
que já não me faz querer ficar.

Escondi a minha história, tão fundo aqui
para que ninguém a pudesse encontrar…
nem mesmo eu nem mesmo este lugar.

Olho em volta, procurando por um sinal:
que me mostre que fui feliz,
sem o gesto de sorrir;
que amei intensamente,
sem saber o que é amor;
que mostrasse daquilo que sou feita,
mesmo sem saber quem sou;

Encontrei memórias manchadas
com o presente, já velho,
que este lugar se tornou!
Memórias essas,
Que são como versos num poema escrito a lápis…
podem ser apagadas.


Patrícia Cabecinha  - 11º D 

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Sou

Sou noite sem fim
ou claro dia a despontar.

Sou simplesmente assim,
uma folha a divagar.

Sou medo e coragem,
liberdade e prisão.
Sou simplesmente assim,
uma flor em botão.

Sou pássaro livre,
cativo da saudade.
Assim simplesmente sou,
sorriso que não aflorou.

Sou vida e morte,
vento que corre forte.
Assim simplesmente sou,
história que não acabou.

Sou arte e ciência,
impaciente paciência.
Assim serei simplesmente,
verdade e mentira que não mente.

Que morra em vida
no dia em que assim não for.
Que viva em morte
se assim simplesmente for.



Filipa Abreu -12º A 

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Água, rua e vento


Água, rua e vento
E pedras no coração.


À semelhança de todos, sou eu.
Único e ímpar, na minha pluralidade.
A cada inspiração, letras e linhas curvas.
Ondas e nuvens e mãos frias de inverno.
Tudo é matematicamente horrível,
À excepção de mim, de ti e de nós.
E os traços que me saem da mão,
São partes de mim que perco pelo caminho,
São matematicamente belos.
Sem raízes, mas com folhas verdes.
Gosto de passear na rua à tarde e passar pelo Mosteiro dos Jerónimos.
É belo e grandioso.
Hoje reparei que faltam lá pedras…
Essas que manténs reféns no teu peito.
E se de repente um pássaro voar por cima da minha cabeça,
Sorrio para ele, abro as asas e sigo-o.
Os bancos estão aquecidos pelo sol, não pelas pessoas que lá não se sentam.
E se fechar os olhos, cheira-me a Tejo e a rio, a cidade e a Lisboa…
Cheira-me a música e a ti.
E já perdido na agonia da alegria e da lembrança que me trazes,
Caminho sozinho na sombra dos pensamentos das árvores do passeio,
A pisar as pedras da calçada. Essas pedras que me têm pisado a mim a vida toda.
Essas que tens tirado do teu peito para atirar ao meu.
Não me tivesses tu atirado, não tinha nada para guardar
No lugar onde Deus me pôs o coração.
Esse mesmo lugar, de onde tu mo tiraste e meteste as pedras que roubaste ao longo da vida


Carlos Victor – 11ºB


quarta-feira, 7 de maio de 2014

A tua voz fez-se ouvir



A tua voz fez-se ouvir
Com um brilho de esperança
Nos teus olhos.
Amavas a terra que te tinha trazido à vida.
Ela prendia-te em si mesma
Com a melodia das searas douradas ao vento
O rugido do rio ao lado da tua casa de adobe
As tardes quentes de verão com sabor a manga e juventude.
A liberdade daquela terra prendia-te a ela
E recusavas pertencer aos muros da opressão
E da gente que não consegue despertar do medo.
Mal sabias tu que quando esses muros caíssem
E o medo se esvaísse em cravos vermelhos
Outras forças roubariam a tua liberdade.
A melodia das searas deu lugar ao som das balas
O rugido do rio calou-se abafado pelas minas
As tardes quentes de verão sabiam a desespero e agonia.
Aprendeste a não recear a espingarda
Mas sim aquele que mandou seu irmão dispará-la.
Tiveste de fugir à dor e deixar tudo para trás.
Embarcaste num futuro incerto
Fechaste-te nos teus próprios muros de exílio
E aceitaste a recusa de sonhar.
Viveste tudo isto e ainda a juventude te corria nas veias!
Agora pergunto-te, meu rapaz
Valeu a pena lutar por aquilo
Que muitas almas pensam que não te pertence?
Sim, valeu a pena.
Pois ainda se vê o brilho dourado das searas
Nos teus olhos de esperança.
E a tua voz faz-se ouvir no rugido do rio
Nas tardes quentes de verão
Da terra que te trouxe à vida.

Leonor Arrimar -  9º A 



terça-feira, 6 de maio de 2014

Alunos premiados...

Foram premiados os seguintes alunos:


Poemas e os poetas premiados
3º ciclo
Leonor Arrimar -  9º A

Secundário

1º prémio - Carlos Victor - 11ºB
2º prémio- Filipa Abreu -12ºA
3º prémio - Patrícia Cabecinha - 11ºD


 O resultado e os poemas estão afixados na Biblioteca!

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Concurso de Poesia

Sem tema obrigatório, o Concurso de Poesia, integrado na Semana de Leitura da Escola Secundária do Monte de Caparica, envolveu os alunos dos ensinos básico, do secundário e dos cursos EFA.


domingo, 4 de maio de 2014

Maio de Minha Mãe

O primeiro de Maio de minha Mãe
Não era social, mas de favas e giestas.
Uma cadeira de pau, flor dos dedos do Avô
— Polimento, esquadria, engrade, olhá-la ao longe —
Dava assento a Florália, o meu primeiro amor.

Já não se usa poesia descritiva,
Mas como hei-de falar da Maromba de Maio
Ou, se era macho, do litro de vinho na sua mão?
O primeiro de Maio nas Ilhas, morno como uma rosa,
Algodoado de cúmulos, lento no mar e rapioqueiro
Como Baco em Camões,
Límpido de azeviche
E, afinal de contas, do ponto de vista proletário,
Mais de mãos na algibeira do que Lenine em Zurich.
(Porque foi por esta época: eu é que não sabia!)

A minha Maromba tinha barriga de palha como as massas
E a foice roçadoira da erva das cabras do Ribeiro
Que se pegou, esquecida, no banco do martelo de meu Avô
Cujas quedas iguais, gravíficas, profundas

Muito prego em cunhal deixaram,
Muita madeira emalhetaram,
Muita estrela atraíram ao bico da foice do Ribeiro
Nas noites de luar em que roçava erva às cabras.
Favas de Maio do meu tempo!
Havia poder popular
Nas mãos de minha mãe, que as descascava como flores
E flores eram de si, na flórea abada
Como se já guardassem flor de laranjeira e açaflor
Nas suas intenções de Maio 1918, para as depor
(Nem pensada sequer) na fronte à minha amada.


Vitorino Nemésio, in 'Antologia Poética'



quinta-feira, 1 de maio de 2014

A esperança não se perde...

Aos mortos-vivos do Tarrafal
Ao cabo de Cabo Verde
dobrado o cabo da guerra
quando o mar sabia a sede
e o sangue cheirava a terra
acabou por ser mais forte
a esperança perseguida
porque aconteceu a morte
sem que se acabasse a vida.

Ao cabo de Cabo Verde
no campo do Tarrafal
é que o futuro se ergue
verde-rubro Portugal
é que o passado se perde
na tumba colonial.
Ao cabo de Cabo Verde —
não morreu o ideal.

Entre o chicote e a malária
entre a fome e as bilioses
os mártires da classe operária
recuperam suas vozes.
E vêm dizer aqui
do cabo de Cabo Verde
que não morreram ali
porque a esperança não se perde.


José Carlos Ary dos Santos