sexta-feira, 9 de maio de 2014

Sou

Sou noite sem fim
ou claro dia a despontar.

Sou simplesmente assim,
uma folha a divagar.

Sou medo e coragem,
liberdade e prisão.
Sou simplesmente assim,
uma flor em botão.

Sou pássaro livre,
cativo da saudade.
Assim simplesmente sou,
sorriso que não aflorou.

Sou vida e morte,
vento que corre forte.
Assim simplesmente sou,
história que não acabou.

Sou arte e ciência,
impaciente paciência.
Assim serei simplesmente,
verdade e mentira que não mente.

Que morra em vida
no dia em que assim não for.
Que viva em morte
se assim simplesmente for.



Filipa Abreu -12º A 

Sem comentários:

Publicar um comentário